menu close menu

Vestir-nos com toda a modéstia

 Por Andrea Patrícia

“Ao levantar da cama e enquanto nos vestimos, deveríamos pensar que Deus está presente, que aquele dia pode ser o último da nossa vida; e, entretanto levantar-nos e vestir-nos com toda a modéstia possível.

(Catecismo de São Pio X, questão 970)

 Aí está um ensinamento valioso do Magistério da Igreja, saído das mãos de um papa que é santo!

 Este dia pode ser o último: é assim que devemos pensar ao acordar pela manhã. E este dia devemos viver com toda a modéstia possível! Os que estão dispostos a viver de acordo com os ensinamentos da Igreja, nossa Mãe e Mestra, acolhem tais palavras com vontade de obedecer, com sincero desejo de buscar a agradar em primeiro lugar a Deus, e assim vão mudando de vida.

 Lendo tal ensino fica muito claro que vestir-se com toda a modéstia possível exclui imediatamente a maioria das modas atuais. Senão vejamos:

  • O vestido quando é longo ou é tomara-que-caia, ou frente única, ou de alças e geralmente de malha, marcando o corpo e as peças íntimas;
  • As saias da moda são todas curtas, umas mais outras menos, mas dificilmente passam da altura dos joelhos;
  • As blusas quando são de mangas compridas ou até mesmo as ¾ são de corte que imita o masculino, dificilmente são femininas. Muitas são de malha, quase todas são transparentes, e boa parte, justas.
  • Sobram calças e mais calças que além de serem vestes apropriadas apenas aos homens (pois imediatamente mostram as formas realçando os quadris, mesmo que sejam folgadas), são também justas, marcam o corpo, ou são simplesmente ridículas como as tais saruel e cenoura.

Realmente é difícil hoje em dia seguir estritamente a moda e ser modesta! Então o que fazer? Buscar se vestir com beleza e decência independentemente da moda! O que a moda oferecer de bom, use, mas não busque se vestir simplesmente de acordo com o modismo, se este não condiz com a modéstia.

Lembre-se do ensino da Igreja: “vestir-nos com toda a modéstia possível”.

Na nossa sociedade, isso significa buscar e comprar tecidos, encontrar modelos de vestidos modestos – como propomos nos nossos álbuns – e levar a uma costureira de confiança para fazer, ou adaptar as roupas que, reformadas, podem ser utilizadas sem perigo de imodéstia.

Ser modesta hoje requer não apenas coragem e santa audácia, mas perseverança para gastar o tempo e o dinheiro que se tem com vestes que realmente sejam dignas da mulher católica. Nossa Senhora disse em Fátima que quem ama Nosso Senhor não deve seguir a moda. Está na hora de cada uma de nós nos confrontar com esta pergunta: afinal, quem me guia na escolha da roupa: a Mulher mais pura que existiu ou a celebridade do momento?

Que Maria Modestíssima nos torne capazes de olhar para Ela e querer imitar sua pureza, antes de sermos escravas de qualquer modismo.

Leave a Reply