menu close menu

Os 10 mandamentos do homem que se veste bem

[tps_header][/tps_header]

modestia masculinaPor Vinícius Farias

 


1. Virilidade: hoje em dia pode até parecer natural que homens usem brincos, tornozeleiras, piercing no nariz, brilho labial, tenham as sobrancelhas feitas, as pernas depiladas, dentre outras manifestações estéticas ditas normais. No entanto, tudo o que descaracteriza a virilidade, masculinidade do homem é certamente reprovável do ponto de vista religioso e até mesmo biológico. O uso de objetos tradicionalmente femininos, ainda que se diga fruto de uma sociedade avançada, não passa de uma rebeldia contra a natureza que o homem que quer se vestir bem deve combater com todas as suas forças.


 


2. Sobriedade: é comum principalmente na adolescência que se queira chamar atenção. Ora, isso me lembra do pavão que, segundo a biologia, quando quer chamar a atenção da fêmea exibe suas plumas balançando-as de um lado para o outro. Assim, seguindo uma moda Restart, não é raro ver homens com calças ridiculamente fluorescentes que fariam corar até mesmo o mais brega dos cantores de lambada de antigamente.


 


3. Simplicidade: muita gente acha que para um homem ser elegante, é preciso gastar fortunas com roupas de marca caríssimas, mas é justamente o contrário. Diferente das mulheres, que necessitam de um vestido de corte diferente, de cores da moda, de sapatos com design arrojado, no caso do homem o menos é sempre mais. Nada como uma camisa de cor neutra e um sapato social preto para torná-lo mais apresentável diante das mais diversas ocasiões.[tps_title][/tps_title]


 


4. Personalidade: ainda que a tendência seja sempre a simplicidade, o homem não deve se fazer “feito em série”. Buscar combinações de gravatas e camisas é sempre recomendável. Além disso, uma abotoadura particular ou um relógio diferente farão muito mais pela personalidade do homem que um moicano ou uma tatuagem. Para as mulheres como para os homens, a roupa deve manifestar um senso de respeito e mistério que farão com que o outro sempre tenha um motivo a mais para se interessar por aquela pessoa.


 


5. Bom senso: não basta vestir roupa social (isso não é requisito algum). Já cansei de ver nos telejornais os âncoras vestindo combinações medonhas. Não dá para se vestir bem a depender apenas do que acho estar bom para mim. Dar uma olhada em catálogos, em sites especializados no assunto, dentre outras opções, é um importante passo para a formação do bom senso.


 


6. Adequação: tem gente que só por se sentir bem acha que camiseta e tênis é algo sociável e infalível para todas as situações. Sei lá, acho que pelo fato de os homens estarem vivendo mais tempo na casa dos pais, eles acabem externando essa síndrome de adolescência tardia nas roupas. No entanto, vai chegando uma idade em que você deve adequar sua roupa tanto para os lugares que vai quanto para a idade que se tem.[tps_title][/tps_title]


 


7. Praticidade: eu fico pensando na quantidade de tempo da vida que algumas mulheres perdem no ritual da beleza. Ninguém quer pregar aqui que se deixe de lado a sadia preocupação com o visual, porém é bom sempre pensar na questão do tempo porque isso pode ser medida para percebermos quando esse ponto se torna um problema. Nesse contexto, percebo que os homens estão demorando-se cada vez mais na tarefa do embelezamento. Porém, diferentemente da mulher, esse embelezamento todo só serve para gastar tempo e dificilmente acrescenta ao que é útil para a boa apresentação social.


 


8. Retidão de Princípios: nos últimos tempos as roupas passaram a expressar ideologias (feministas, homossexuais, socialistas, etc), mas tudo isso se perde diante da lei da modéstia que é a principal finalidade de o corpo ser coberto. Quando se perde de vista essa lei, tanto faz eu como homem estar de calça ou de saia (como já vi em desfiles pela Europa). O que mais importa é passar uma mensagem e assim a roupa vira veículo de toda sorte de causas quando ela só precisaria cobrir dignamente o corpo.


 


9. Economia: vivemos numa sociedade de consumo exagerado. Isso faz com que a utilidade das roupas durem apenas o tempo de uma estação do ano (ex. coleção primavera-verão). Porém, se se usa roupas segundo os princípios já mencionados, como: simplicidade e sobriedade, as coleções tornam-se apenas modismos passageiros. No mais das vezes você pode economizar um dinheiro que poderia ser investido em coisas muito mais relevantes.


 


10.Visão histórica: é preciso ter em mente o que os homens já usaram no decorrer da história para não corrermos o risco de cair em erros do passado. Houve época em que o homem  usava salto, maquiagem, peruca,  saia e por aí vai. No entanto, houve épocas como a Belle Époque  que, ao menos na minha opinião, o homem  nunca tenha se vestido de modo tão coerente com a modéstia e a condição natural que o Criador lhe deu. Portanto, ponderar erros e acertos do passado é uma lição de casa para qualquer homem que pretenda se vestir bem.[tps_footer][/tps_footer]



Share This:

Comments Off on Os 10 mandamentos do homem que se veste bem