menu close menu

A moda da novela

Por Julie Maria


pd: links contém imagens e vídeo imodesto


Para mim a sensação foi como, de um dia para o outro, as mulheres começassem a mostrar o seu sutiã na rua. De repente, a maioria das meninas estava usando blusas com todo – ou parte – do seu sutiã aparecendo. Como, de “um dia para o outro”, todas as lojas passaram a vender blusas que viraram “mania” e que hoje são usadas por jovens e senhoras, solteiras e mães, sem demonstrar nenhum tipo de pudor, do norte ao sul do país?


Logo pensei comigo: “é coisa da Globo”. Historicamente, para que uma certa palavra fosse incorporada ao vocabulário de um povo, um longo processo era necessário. Hoje, com a mass mídia, o tempo foi radicalmente encurtado. Mas aqui no Brasil é quase que instantâneo: basta sair em um capítulo desta baixaria chamada “novela” que no outro dia os brasileiros estão falando igual ao personagem “x” e achando “bonitinho” o que ele faz. No campo da moda, assim como nos mais variados aspectos culturais, o Brasil é influenciado muito mais por uma novela do que pelos desfiles de Paris, que também deixaram de ser modestos há décadas.


Pesquisando no Google sobre essa moda imodesta, também vislumbrei a presença de uma massa de mulheres católicas num tal estado de passividade, que cheguei a me questionar se elas sabem que são criadas à imagem de Deus, ou se elas se acham mais filhas do Aguinaldo Silva ou de qualquer outro sedutor que as faça cair no pecado, tal como a serpente fez com Eva. Como um figurino de uma personagem dessa “fábrica de mimetização” tem tanto poder? A resposta pode ser esta: por causa da falta de formação moral das moças.[1] Tenho compaixão dessas mulheres cegas, mas enquanto elas – conscientemente ou não – se deixam seduzir, tornam-se instrumentos de satanás para a perdição de suas almas e das de muitos irmãos.[2]


Eu sei. A maioria das meninas não tem onde receber autêntica formação católica e está confusa, sem nenhuma referência feminina digna de inspiração. As figuras femininas da Televisão brasileira são todas umas monstruosidades. Por isso, os pais católicos têm uma grande responsabilidade: em vez de sentar e ver a novela junto com os filhos, deveriam ensinar por que a família não vê esse tipo de programa. Em vez de deixarem a filha ir para a Missa com o sutiã todo aparecendo – achando que é “normal/comum/lícito/” – devem ser exemplo de modéstia para ela, pois a autoridade só é veraz com o exemplo. Se não, torna-se hipocrisia, como ensina o Santo Evangelho.


Nossa Senhora, em 1917, disse que viriam modas que ofenderiam muito a nosso Senhor. Quais seriam essas modas? Por acaso os nomes de peças como “tomara-que-caia”, “mini”-saia e “frente única” não são suficientes para entender que são justamente essas modas que, denegrindo a mulher, ofendem a Deus? Que eu saiba, o conceito de moda é ensinar a se vestir e não a se despir! O que falta para que saiamos dessa mentalidade, moralmente morta, que coloca “normal/“comum”/“lícito” como sinônimos no campo moral?


Por que saiu na novela ontem, então, a tal moda virou “normal/comum/lícita”, e o que era roupa de prostituta vira roupa de mãe e avó no outro dia? Com a Globo, lógico, isso é sumamente previsível. Essa mídia podre sabe como manipular mentes.


Na pesquisa que fiz encontrei este vídeo do programa da Ana Maria Braga. Vômito espiritual. Não tenho outro termo para expressar o que senti ao ver isso. Que vulgaridade; que caos moral; que ataque feroz contra os princípios mais elementares do pudor! E sem escrúpulo nenhum fingem que essa moda imoral foi “primeiro lançada na rua”… “que não foi por causa da novela” (sic). Pois é, querem que engulamos o fato de que, de um dia para o outro, todas as mulheres decidem sair com blusas que aparecem o sutiã! Querem fazer o povo de idiota a qualquer preço. O autor da novela-lixo ganha 150 mil reais por mês para  deformar a consciência do povo, e a mulher católica que assiste, o que ela ganha?A fala da apresentadora do programa e o da consultora da imodéstia – farinha do mesmo saco global – me fizeram lembrar um livro que eu li: “as cartas do diabo ao seu aprendiz”.


Mas a Igreja não é escutada por suas filhas: É um absurdo a Igreja dizer o que a mulher deve vestir”, gritam algumas. Nossa Senhora não é imitada: “Onde já se viu ter como critério alguém que viveu há 2000 anos atrás?”, esperneiam outras. E as mulheres modestas são ridicularizadas por muitas: é ridículo se vestir assim, sem mostrar nada”! Mas a Globo vai, dia após dia, criando gerações de mulheres-robôs que fazem direitinho o que ela manda: ela manda mostrar o sutiã (!) e lá está, o exército global de mulheres – no outro dia! – mostrando essa peça de roupa que leva o nome de “roupa íntima”, pois ela tem a função de proteger a intimidade da pessoa e jamais de mostrá-la em público!


Acorde, mulher católica! Não aceite ser deformada pela Globo e companhias ilimitadas. Elas fazem exatamente o oposto do que a Igreja ensina: “A pureza cristã requer uma purificação do clima social. Exige dos meios de comunicação social uma informação que não ofenda o respeito e a modéstia. A pureza do coração li­berta a pessoa do erotismo tão difuso e afasta-a dos espetácu­los que favorecem o “voyeurismo” e a ilusão.”[3]


Acorde, mulher católica! E não se deixe seduzir pelo pai da mentira: deixe-se seduzir apenas por Deus (Jer 20, 7)! Você é imagem de Deus! Sabe o que isso significa? É bom começar a rezar e a se formar para saber. Pois essas novelas e esses programas da TV brasileira não geram efeitos nocivos em animais irracionais, mas em nós, seres humanos – a quem foi dada inteligência para pensar e vontade para querer o Bem – a TV tem o grande poder de atrofiar os dons que Deus quer que rendamos. Você pode até não deixar de ver a novela, pode decidir não buscar uma formação católica autêntica, e deixar  assim, de agradar a Deus com o seu coração e o seu corpo, mas você não poderá dizer a Deus que nunca foi avisada.


Rezo para que a graça divina e a intercessão de Maria Santíssima possam fazê-la abrir os olhos, assim com me abriu e está abrindo àquelas que buscam o Senhor com reta intenção.




[1] “É claro que sua ação nesta direção deve ter como meta ganhar para sua causa especialmente aqueles que controlam a opinião pública através da imprensa e outros meios informativos. As pessoas querem ser guiadas no estilo mais do que em qualquer outra atividade. Não é que elas não tenham um senso crítico nesta matéria de estética ou propriedade, mas é que, às vezes dóceis e outra vezes preguiçosas demais para fazer uso desta sua faculdade, elas aceitam a primeira coisa que lhes é oferecida e só mais tarde se dão conta de o quão medíocres ou indecorosas certas modas são.” S.S Pio XII sobre o problema moral nos estilos da moda.


[2] “Nós devemos salvar as nossas almas e as de nossos irmãos. Hoje o perigo é com certeza maior, porque os meios de excitar as paixões, antes bem restritos, têm se multiplicado enormemente… [Devemos] combater a imoralidade no campo da moda e do vestir, da saúde e do esporte, no campo das relações sociais e do entretenimento… É realmente um combate. A pureza das almas vivendo no estado da graça sobrenatural não é preservada e não será preservada, sem o combate. S.S. Pio XII 22.5.41


[3] CIC 2524

Share This:

Comments Off on A moda da novela