menu close menu

Carta de filhos adotados por homossexuais

RETURN FROM THE TEMPLE framed composite watermark copy


Você acompanhou o caso Dolce e Gabanna? Resumindo a história, estes famosos estilistas da Alta  Costura fizeram um desfile homenageando as mães e deram uma entrevista onde disseram que o filho deve vir do amor do pai e da mãe e que são contra dos homossexuais adotarem filhos, mesmo eles vivendo nesta situação.


Como resposta positiva e apoio a eles seis filhos adotados por homossexuais escreveram-lhes uma carta que vale a pena ser lida e compartilhada pois é escrita não por teóricos e sim por pessoas de carne e osso que estão sofrendo muito por atitudes baseadas em caprichos e não nas necessidades das crianças.


Que a Sagrada Família ilumine a todos a lutarem pelo bem dos mais inofensivos: as crianças!


A carta na íntegra:


Estimados Dolce e Gabbana,

Saudações dos Estados Unidos. Os seis assinantes desta carta fomos todos criados por pais e mães gays e lésbicas. Cinco de nós somos mulheres e um é gay, embora todos criamos nossos filhos com seus pais do sexo oposto.

Queremos agradecer-lhes por darem voz a algo que aprendemos por experiência: Todo ser humano tem uma mãe e um pai, e cortar isso da vida de uma criança significa roubar a sua dignidade, humanidade e igualdade.

Sabemos que os pais homossexuais podem ser amorosos, dado que amamos os nossos pais e eles nos amam. Não obstante, todos nós experimentamos em primeira pessoa a dura reação que segue quando se questiona a visão dominante da “paternidade homossexual” como universalmente positiva.

Sabemos que chegarão a estar sob uma tremenda pressão, especialmente agora quando na Itália e Estados Unidos estão sendo empurrados para ignorar a nossa preocupação pelos nossos direitos a ter uma mãe e um pai, com o fim de agradar ao poderoso lobby gay.

Ninguém recebe ataques mais ferozes de parte do lobby do que aqueles que vêm da própria comunidade gay e questionam as suas políticas: filhos de casais homossexuais, tanto como os gays que os defendem (como vocês dois).

O mais provável é que muitos na comunidade internacional tentem conseguir cancelar os seus espetáculos, censurar os seus anúncios e destruir a sua reputação na internet.

Vocês demonstraram ser extremamente corajosos. Vocês nos deram uma grande inspiração para preparar cartas e envia-las à Corte Suprema contra o matrimônio gay.

Queremos elogiar a sua coragem e agradecer-lhes por sua inspiração. Também imploramos que não se rendam quando a reação violenta cresça em intensidade. Se vocês se retratarem e se desculparem pelo que disseram, deixarão as crianças de lares homossexuais ainda mais vulneráveis e desacreditadas.

É importante para o nosso bem e para o bem das crianças italianas que não se desculpem ou repensem. Por favor, apoiem a ideia de que todas as crianças precisam estar unidas com suas mães e pais. É um direito humano.

Se podemos ajudá-los de algum jeito, por favor, faça-nos saber. Nem todos somos cristãos, mas queremos enviar a vocês as nossas bençãos e prometer-lhes que seremos compradores por toda a vida de Dolce e Gabbana a partir de agora.

Heather Barwick, colaboradora de Federalista

Rivka Edelman, Co-autora do Jephthah’s Daughters: Innocent Casualties in the War for Family Equality”

Katy Faust, redatora em asktheBigot

Robert Oscar Lopez, Co-autor do Jephthah’s Daughters: Innocent Casualties in the War for Family Equality”

Denise Shick, autora do “My Daddy’s Secret”

Dawn Stefanowicz, autora de “Fuori Dal Buio: La Mia Vita Con Un Padre Gay”.



Fonte: ACI Digital

Share This:

Comments Off on Carta de filhos adotados por homossexuais